//
você está lendo...
VALMIR

Estado x Igreja

Coluna escrita por Francisco Valmir Lopes. 30 anos. Casado. Católico Apostólico Romano. Natural de Santa Helena-PB. Bacharel em Direito pela UFCG.Pós-graduando em Direito Previdenciário pela FIP/OAB-PB. Advogado OAB-PB.
Consultor Jurídico. Servidor da Justiça Eleitoral.





ESTADO X IGREJA

AIgreja, como conhecemos hoje, teve seu embrião implantado pelos ensinamentos deJesus Cristo, formando-se, posteriormente, na Igreja Católica

ApostólicaRomana, a primeira Igreja. Já o Estado, ou seja, nação, país independente, temsua origem em data mais remota.
Entretanto,antes de Cristo, a religião estava intrinsecamente ligada ao Estado, ou mesmocom ele se confundia, como no caso dos Judeus e Israelitas da época, que tinhamseu Rei indicado por Deus, ou era o próprio Deus; em outros casos, o imperadorse fazia deus e até exigia adorações.
Damesma forma, na época em que a Igreja Católica era a única, os papas, seusrepresentantes, influenciavam diretamente os Chefes de Estado contemporâneos,de modo que até então, as leis estatais sempre se aproximavam dos mandamentosda Igreja.
Assim,mandamentos da Igreja como a proibição do adultério, do furto e roubo, doassassinato, também eram reconhecidos como crimes nas leis estatais. Aliás, tempohouve em que até mesmo negar certos dogmas religiosos se constituía em crime,ou a prática de atos considerados heréticos eram castigados até com a morte.
Estaproximidade entre a Igreja e o Estado começou a ruir quando apareceram asigrejas protestantes e com o aumento do número de ateus, porque devido àmultiplicidade de igrejas o Estado não podia adotar esta ou àquela religião, cabendoaos seus cidadãos decidirem seu credo religioso, em reconhecimento dos princípiosda liberdade e da igualdade.
NoBrasil, país ainda com maioria católica, nos últimos tempos, as leis têm cadavez mais se distanciado dos mandamentos religiosos, apesar dos protestos. Já ocorreua descriminalização do adultério (revogação do art. 240 do CP, em 2005), há tambémpolêmicos assuntos como o da liberação do aborto e do manuseio de células troncoembrionárias, este liberado por lei, cuja constitucionalização foraquestionada.
Recentementeo Supremo Tribunal Federal, independentemente de lei, em decisão válida paratodo o território brasileiro, disse que é possível o casamento entre pessoas domesmo sexo, o que é abominável aos olhos da Igreja, com bem frisou o S.S. PapaBento XVI, ao afirmar que o casamento homosexual é uma “ameaça ao futurohumanidade” (http://www1.folha.uol.com.br/mundo/1031966-casamento-gay-ameaca-
a-humanidade-diz-o-papa.shtml).O mesmo sentimento de repulsa é manifestado pelos cristãos brasileiros. E, alémdos dogmas religiosos se fundamentam necessidade de procriação da espécie e nade formação dos princípios basilares da família.
Ofato é que a distância entre Estado e Igreja é realmente uma situação que preservaprincípios como a liberdade e a igualdade, entretanto, o que pode provocar aruína do próprio Estado é a distanciação dos princípios religiosos, fomentandoidéias destrutoras da família, pois esta é de fato o núcleo e a base de toda asociedade, se ela vai bem a sociedade vai bem, se ruir (como vem acontecendo)piora sensivelmente a vida em sociedade, seja com o aumento da criminalidadeseja com a infelicidade dos indivíduos.
Emse continuando a crescer essa cultura anti-cristã, quiçá em pouco tempo outroscrimes como o estupro, o furto, poderiam se legalizar também!? E como seria umasociedade onde tudo é permitido? A sociedade, a própria humanidade pereceria.
Emum breve lance de olhar sobre a sociedade atual e os acontecimentos hodiernos,numa visão cristã podemos visualizar a realização das profecias apocalípticasdescritas na Bíblia, entretanto, a mídia, que parece estar por trás de algumasociedade secreta com interesses desconhecidos, tem feito parecer que tudo issoé normal e que já acontecia desde os primórdios; cumprindo assim com as palavrasde Jesus “virei como um ladrão” ( ).
Mas,como estamos em clima de ano novo, onde tudo se apresenta como uma novaoportunidade de mudança, desejamos que estas aconteçam trazendo melhorias paraas famílias e todos os nossos semelhantes já no bojo deste ano de 2012. Umabençoado ano novo a todos!
Anúncios

Discussão

2 comentários sobre “Estado x Igreja

  1. A família é base da sociedade, e a base da família é a prática da palavra de Deus. Somente vivendo a palavra de Deus o humano saberá relacionar-se bem com o seu próximo. O bom relacionamento entre os seres humanos proporcionará a paz entre todas as entidades sociais e as mudanças que ocorrerem será para o bem comun de todos. Assim teremos um abençoado ano novo.

    Publicado por Professora Valcilene | 19 de janeiro de 2012, 18:24
  2. A família é base da sociedade, e a base da família é a prática da palavra de Deus. Somente vivendo a palavra de Deus o humano saberá relacionar-se bem com o seu próximo. O bom relacionamento entre os seres humanos proporcionará a paz entre todas as entidades sociais e as mudanças que ocorrerem será para o bem comun de todos. Assim teremos um abençoado ano novo.

    Publicado por Professora Valcilene | 19 de janeiro de 2012, 18:24

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: